GILSONNETO.COM

MENU
Logo
Segunda, 26 de outubro de 2020
Publicidade
Publicidade

Lava Jato

Aécio retorna ao Senado pela 2ª vez e cita ‘trama ardilosa’ da PGR

Tucano faz crítica indireta ao ex-PGR Rodrigo Janot Senado derrubou afastamento imposto pelo Supremo

270
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou nesta 4ª feira (18.out.2017) ao Senado Federal. É o 2º retorno do tucano este ano, depois de afastamentos impostos pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Sem citar o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Aécio o culpou pelas acusações que tem sofrido.

“Contribuíram para essa trama ardilosa homens de Estado, notadamente alguns que tinham assento até muito pouco tempo na Procuradoria Geral da República”, afirmou. “Novos depoimentos, delações, gravações que haviam sido omitidas vão dando 1 contorno claro às razões que levaram àquela construção criminosa da qual fui vítima.”

O senador optou por 1 discurso curto. Falou por 3min04s, estratégia diferente da utilizada no afastamento anterior, quando Aécio discursou 21min02s.

O senador citou as novas gravações envolvendo sua irmã Andrea Neves, que indicam que havia a negociação da venda de 1 apartamento pela família para o empresário Joesley Batista, da JBS. “Parte da verdade está vindo à tona”, disse.“Fui alvo dos mais vis ataques dos últimos dias. Mas não retorno a esta casa com rancor ou ódio. Venho acompanhado da serenidade dos homens de bem.”

O retorno acontece depois de os senadores terem decidido na 3ª (17.out), por 44 votos a 26, derrubar o afastamento de Aécio do Congresso, que havia sido imposto pela 1ª Turma do STF. Foram 22 dias longe do Congresso.

Aécio retorna às atividades sob desconfiança de colegas de PSDB. Antes da nova crise gerada pelo 2º afastamento, a saída definitiva do mineiro da Presidência era cobrada apenas por uma parte dos deputados na Câmara. Agora, o presidente interino da sigla, senador Tasso Jereissati (CE), declarou que não vê condições de a situação se prolongar.

“Ele não condições, dentro das circunstâncias que está, de ficar na Presidência do partido. Precisamos de uma solução definitiva”, disse Tasso.

Aliados do mineiro afirmaram que desta vez Aécio evitará qualquer tipo de enfrentamento e adorará postura de naturalidade. Pretende agradecer aos colegas e manter o discurso de que, como qualquer acusado, ele também tem direito a defesa.

Fonte/Créditos: poder360.com.br

Comentários: