GILSONNETO.COM

MENU
Logo
Sexta, 23 de outubro de 2020
Publicidade
Publicidade

Política

Frota apresenta dados que ligariam Eduardo Bolsonaro à esquema de fake news

Deputado entregou material à PF

45
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O deputado Alexandre Frota (PSL-SP) entregou à Polícia Federal documentos que ligariam diretamente o colega Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao esquema de fake news que mira opositores da família do presidente Jair Bolsonaro. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Frota deu depoimento sobre o caso à PF em 29 de setembro. Na ocasião, apresentou números de IPs de computadores com endereços no Rio de Janeiro e em Brasília. Seriam ligados a 1 e-mail pessoal de Eduardo e usados para o disparo de conteúdos falsos contra desafetos políticos.

O pesselista informou que obteve as informações na CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News, que, apesar de ter saído dos holofotes, continua ativa.

Em março, outro documento enviado à comissão apontou que 1 assessor do filho 03 do presidente Jair Bolsonaro seria o responsável por uma página utilizada para difamar opositores do governo.

A página “Bolsofeios” foi criada a partir de 1 computador na Câmara dos Deputados. O registro foi feito com 1 e-mail e número de telefone de Eduardo Guimarães, secretário parlamentar do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Os dados foram requeridos pelo deputado Túlio Gadelha (PDT-PE) com base no depoimento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) à comissão. A congressista citou o perfil como parte do chamado “gabinete do ódio”, que contaria com 1 grupo privado no Instagram para promover ataques digitais a opositores do presidente. De acordo com a deputada, o vereador Carlos Bolsonaro também comanda a rede.

O perfil “bolso_feios” hoje está desativado. Na internet, no entanto, ainda é possível encontrar reproduções de quando a página ainda estava no ar no Instagram.

Fonte/Créditos: Poder 360

Créditos (Imagem de capa): Roque de Sá/Agência Senado

Comentários: