GILSONNETO.COM

Itália aprova reduzir número de parlamentares em mais de um terço

Projeto recebeu apoio de praticamente todos os grupos políticos italianos. De 945 congressistas, o país deverá passar a ter 600.
Itália aprova reduzir número de parlamentares em mais de um terço
Foto: Remo Casilli/Reuters
25

Itália aprova reduzir número de parlamentares em mais de um terço

G1/Mundo

A Câmara dos Deputados da Itália aprovou nesta terça-feira (8) uma reforma constitucional que reduz o número de parlamentares em mais de um terço. O objetivo da medida, segundo os idealizadores, é economizar 500 milhões de euros por legislatura – mais de R$ 2 bilhões a cada cinco anos.

Com a reforma, o número de parlamentares na Itália deve cair de 945 para 600 somando as duas casas, a partir das próximas eleições. No detalhamento, ficou assim:

  • 400 na Câmara dos Deputados – eram 630
  • 200 no Senado – eram 315

A medida recebeu 553 votos a favor e 14 contrários. Tal redução era uma promessa de campanha do Movimento 5 Estrelas, partido governista antissistema que se manteve no governo mesmo após o direitista Liga, de Matteo Salvini, dissolver a coalizão.

Em agosto, o 5 Estrelas costurou uma nova aliança com o Partido Democrático, de centro-esquerda, que era contra a redução no número de parlamentares. Porém, para garantir que a Liga e outros partidos de direita permanecessem na oposição, os dois grupos antes opostos assumiram compromissos comuns – entre eles, a reforma política pretendida pelos antissistemas.

"Um passo concreto para reformar nossas instituições. É um dia histórico para Itália", afirmou o primeiro-ministro Giuseppe Conte, segundo o jornal "Corriere della Sera".

A votação desta terça foi a quarta e última sobre o assunto, e recebeu apoio de praticamente todos os grupos políticos. Como é uma modificação da Constituição, o Senado e a Câmara dos Deputados devem votar duas vezes o mesmo texto para que possa entrar em vigor.

Reino Unido tem o maior Parlamento na Europa, segundo a agência France Presse, com 1.455 integrantes. Em segundo, vem a França, com 925 – o posto pertencia à Itália antes da reforma.

Há algo que pode derrubar a medida?

Apesar da larga votação, há possibilidade de que um referendo nacional possa ser convocado por opositores à medida. Alguns deles alertam que essa redução enfraqueceria a democracia por facilitar que grupos de interesse tenham maior poder de barganha com um número menor de parlamentares.

Outros críticos à lei afirmam que a economia será pequena. À AFP, o ex-juiz Guido Neppi Modona se mostrou cético em relação ao menor número de parlamentares. "Essa economia é mínima, uma parte muito pequena do orçamento do Estado. Ao invés disso, estou convencido de que o aspecto realmente importante é o incentivo para uma seleção mais rigorosa de candidatos", afirmou.

Entretanto, ao considerar a larga margem de aprovação e o apoio de todos os grandes partidos italianos, é improvável que um referendo – se convocado – resulte na derrubada da reforma.

OUVIR NOTÍCIA

A Câmara dos Deputados da Itália aprovou nesta terça-feira (8) uma reforma constitucional que reduz o número de parlamentares em mais de um terço. O objetivo da medida, segundo os idealizadores, é economizar 500 milhões de euros por legislatura – mais de R$ 2 bilhões a cada cinco anos.

Com a reforma, o número de parlamentares na Itália deve cair de 945 para 600 somando as duas casas, a partir das próximas eleições. No detalhamento, ficou assim:

  • 400 na Câmara dos Deputados – eram 630
  • 200 no Senado – eram 315

A medida recebeu 553 votos a favor e 14 contrários. Tal redução era uma promessa de campanha do Movimento 5 Estrelas, partido governista antissistema que se manteve no governo mesmo após o direitista Liga, de Matteo Salvini, dissolver a coalizão.

Em agosto, o 5 Estrelas costurou uma nova aliança com o Partido Democrático, de centro-esquerda, que era contra a redução no número de parlamentares. Porém, para garantir que a Liga e outros partidos de direita permanecessem na oposição, os dois grupos antes opostos assumiram compromissos comuns – entre eles, a reforma política pretendida pelos antissistemas.

"Um passo concreto para reformar nossas instituições. É um dia histórico para Itália", afirmou o primeiro-ministro Giuseppe Conte, segundo o jornal "Corriere della Sera".

A votação desta terça foi a quarta e última sobre o assunto, e recebeu apoio de praticamente todos os grupos políticos. Como é uma modificação da Constituição, o Senado e a Câmara dos Deputados devem votar duas vezes o mesmo texto para que possa entrar em vigor.

Reino Unido tem o maior Parlamento na Europa, segundo a agência France Presse, com 1.455 integrantes. Em segundo, vem a França, com 925 – o posto pertencia à Itália antes da reforma.

Há algo que pode derrubar a medida?

Apesar da larga votação, há possibilidade de que um referendo nacional possa ser convocado por opositores à medida. Alguns deles alertam que essa redução enfraqueceria a democracia por facilitar que grupos de interesse tenham maior poder de barganha com um número menor de parlamentares.

Outros críticos à lei afirmam que a economia será pequena. À AFP, o ex-juiz Guido Neppi Modona se mostrou cético em relação ao menor número de parlamentares. "Essa economia é mínima, uma parte muito pequena do orçamento do Estado. Ao invés disso, estou convencido de que o aspecto realmente importante é o incentivo para uma seleção mais rigorosa de candidatos", afirmou.

Entretanto, ao considerar a larga margem de aprovação e o apoio de todos os grandes partidos italianos, é improvável que um referendo – se convocado – resulte na derrubada da reforma.

Fonte

G1/Mundo

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Mundo
Cuba adota sistema partilhado do poder, sem renunciar ao socialismo
Cuba adota sistema partilhado do poder, sem renunciar ao socialismo
VISUALIZAR
Entretenimento
Malvino Salvador sobre casamento em Noronha: "Vai ter passeio de barco"
Malvino Salvador sobre casamento em Noronha:
VISUALIZAR
Polícia
DAGV registra mais de 11 mil inquéritos da Maria da Penha
DAGV registra mais de 11 mil inquéritos da Maria da Penha
VISUALIZAR
Municípios
Dois condutores são flagrados dirigindo com CNHs suspensas
Dois condutores são flagrados dirigindo com CNHs suspensas
VISUALIZAR
Sergipe
TRE cassa mandato da deputada estadual Diná Almeida
TRE cassa mandato da deputada estadual Diná Almeida
VISUALIZAR
Sergipe
Estado negocia compra de boias no valor de 100 mil para conter avanço das manchas de óleo em...
Estado negocia compra de boias no valor de 100 mil para conter avanço das manchas de óleo em Sergipe
VISUALIZAR